Anumtep Jibade

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Anumtep Jibade

Mensagem por Asher@jeff em Qua Abr 19, 2017 11:30 pm

Anumtep nascido no Egito é filho de uma mulher chamada Astarte, o nome de sua mãe foi escolhido em homenagem a Nephthys (Astarte é o outro nome de Nephthys), e de um homem chamado Bebti (Bebti Significa Primogênito da terra e é um dos nomes de Osíris).
Como um mortal, Anumtep nasceu no norte do Egito e viveu até os 5 anos uma vida normal, até seu pai ser assassinado por Sutekh.


Inicialmente sua mãe foi prometida para Sutekh, mas com passar do tempo Sutekh se tornou uma pessoa mal vista pela família de Astarte e pela maioria das pessoas de sua cidade.                                                                                         Astarte, Bebti e Sutekh eram filhos de pessoas importantes no Egito, tinham bastante dinheiro e algumas propriedades.                                                                                                                                                                      
Quando Astarte e Bebti se casaram, Sutekh fez jura de morte contra Bebti. Após o casamento Sutekh saía do Egito frequentemente, e aos poucos foi degradando sua reputação. Sutekh passou a odiar Bebti e passou muito tempo planejando sua vingança. Naturalmente Sutekh esperou o tempo certo para cumprir sua jura de morte, ele não agiu precipitadamente, deixou o tempo passar e passou apenas a cultivar o ódio, viveu cinco anos com os piores tipos de pessoas que poderia conviver. Com as pessoas do submundo aprendeu a arte da trapaça, corrupção e assassinato. Já na alta sociedade praticava manipulação e procurou aprender a combater com armas e técnicas de luta que eram ensinadas no exercito, visto que ele podia pagar pelo treinamento.                                                                                               Sutekh assassinou a sua família para se tornar rico, influente e buscar a sua vingança. Ele tramou a morte de Bebti para se casar com Astarte. Fez a morte de Bebti parecer uma um incidente religioso.                                                   Sutekh despedaçou bebti e espalhou seus pedaços pelo Egito e fez parecer que a morte de bebti foi um incidente religioso cometido por algum “fanático”.                                                                                                               Após assassinar Bebti, Sutekh fala com Astarte e confessa que matou seu marido e que se ela não se casasse com ele seu filho teria o mesmo destino. Astarte conhecia muito bem a reputação de Sutekh e resolveu aceitar a proposta para salvar a vida de seu filho.                                                                                                                                       Anumtep tinha cinco anos e por meio dessa chantagem Sutekh se casou com Astarte e passou a controlar o dinheiro e as propriedades tanto da parte de Astarte quanto a parte que era de Bebti pois também tramou a morte dos parentes mais próximos.                                                                                                                                                         Sutekh agora não era só um homem cruel, era também muito rico e influente no Egito.                                                                                                                                                                                                                                Sutekh dizia a Astarte que faria de Anumtep um homem muito melhor que Bebti e que certamente ele seria muito maior que seu pai.                                                                                                                                                            A verdade é que Sutekh criou Anumtep até seus 16 anos baseando-se nas regras da bastardagem. Sempre colocando Anumtep abaixo de tudo ele tinha sido escravizado na própria casa. Como Sutekh começou a criar Anumtep desde os cinco anos, viu que o garoto tinha as características físicas de seu pai, ele era fisicamente mais resistente e muito maior que a grande maioria das crianças de sua idade, e à medida que o tempo passava ficava mais evidente que o garoto era muito mais forte que a maioria.                                                                                                                         Sutekh tinha se tornado perito na luta com a espada e um bom lutador com as mãos nuas, toda a vez que ele julgava que Anumtep tinha desobedecido ou considerando que tivesse sido afrontado ele surrava o menino.                                                                                                                                                                                                       Nisso se passam dois anos e Sutekh decide que é a hora de mostrar como é a “vida real” para Anumtep, ele leva o garoto para lutas Clandestinas que ocorriam nos lugares mais obscuros do Egito.                                                           Era parecido com a famosa briga de galo, só que em vez de galos ou outros animais as lutas eram entre crianças e adolescentes, adultos também lutavam e todos geralmente eram escravos.                                                                   No inicio Anumtep se recusa a lutar, como todo tipo de rinha sempre havia apostas, o garoto se recusava a lutar e seu padrasto perdia dinheiro, além de apanhar na rinha, Anumtep também apanhava de Sutekh.                                         Então o garoto percebeu que se não lutasse acabaria morto e resolveu ceder, mas fez um pedido a Sutekh, pediu que o ensinasse a lutar.                                                                                                                                            
Sendo assim Sutekh passou a ensinar o garoto a lutar, logo Anumtep passou a ser uma das principais atrações das lutas clandestinas, era um garoto muito alto e forte, o tempo passou até que ele se tornou muito habilidoso na arte da luta.     Anumtep viveu até os dezesseis anos debaixo do mesmo teto que Sutekh até que percebeu que mais cedo ou mais tarde ele tentaria mata-lo, visto que o garoto agora com mais de dois metros de altura se tornava uma ameaça.                                                                                  
Anumtep teve educação básica enquanto estava debaixo do mesmo teto que seu padrasto, ele vivia com o básico do básico, até o que ele comia eram sobras de Sutekh.                                                                                                     Sentindo que mais cedo ou mais tarde ele seria morto, Anumtep resolve fugir e foi o mais longe que podia e se dirigiu inicialmente ao sul do Egito.                                                                                                                              
Como era grande e forte conseguiu formas um pouco mais dignas de sobrevivência.                                                       Volta e meia participava das lutas clandestinas, mas na maioria das vezes fazia trabalho forçado visto que facilmente seria contratado devido ao seu porte físico e ele fez isso até os dezoito anos.                                                                 Com o passar do tempo Anumtep percebeu algo estranho sempre que ia dormir, ele notou que, sempre que se escondia para dormir, chacais sempre estavam próximos de onde ele dormia.                                                                             Muitos acreditavam que o chacal era um símbolo de mau augúrio, pois nesse aspecto o chacal era um Símbolo de morte e das vagueações dos mortos até chegar à nova vida, ninguém chegava perto dos locais onde se encontravam os chacais.                                                                                                                                                             Com isso Anumtep passou a se aproximar mais dos chacais e por algum motivo os chacais não eram hostis com Anumtep, ele passou a alimenta-los e os chacais começaram a seguir de longe Anumtep.                                               Com o passar do tempo Anumtep conseguiu emprego fixo como guarda costas de um egípcio muito rico chamado Aminotep, trabalhou para esse homem durante dois anos.                                                                                           Mesmo tendo arrumado um emprego fixo Anumtemp nunca deixou os chacais de lado sempre os alimentou embora não pudesse leva-los com ele.                                                                                                                              Anumtep tinha um bom relacionamento com seu patrão, ele era tratado com respeito e era bem visto pelos seus empregadores.
Ele criou laços de amizade com seu empregador que agora era um amigo ou algo parecido como um pai.                         Até que um Aminotep o avisou que tinha uma mulher rica que estava procurando uma pessoa que batia com as suas características e que seu nome era Astarte.                                                                                                                 Logo Anumtep se viu triste, sabendo que sua mãe estava procurando-o ele perguntou a seu patrão como poderia encontrar a tal mulher, ele não avisou que Astarte era sua mãe e então seu patrão marcou o encontro.                           Chegando ao local Anumtep agora com vinte anos reencontra sua mãe, eles conversam durante algum tempo, e sua mãe lhe diz que Sutekh sabe de seu paradeiro e está vindo atrás dele, pois Anumtep já tem idade suficiente para reivindicar a herança de seu pai Bebti.                                                                                                                                    Ela disse a Anumtep que ele devia fugir e viver um tempo fora do Egito visto que a influencia de Sutekh talvez não chegasse fora do Egito.                                                                                                                                                   Astarte deu uma boa quantia em ouro para Anumtep e diz para ele partir imediatamente, disse que já tinha falado com seu patrão e ele já tinha arrumado um meio de tira-lo do Egito.                                                                                   Seu patrão então traz um homem chamado Somekh, um egípcio que era seu amigo e vivia fora do Egito, Aminotep disse a Anumtep que esse homem poderia ajuda-lo a escapar do baixo e do alto Egito, e que ele o levaria para um lugar onde estaria livre da perseguição de seu padrasto. Anumtep se despede de sua mãe e promete que voltará ao Egito para se vingar de Sutekh, então ele parte com Somekh em direção a península do Sinai.                                                           Somekh viaja com um pequeno grupo de “Comerciantes” eles conhecem as rotas comerciais do Egito e também as rotas pouco conhecidas por toda aquela região, durante a viagem a conversa flui rapidamente, Somekh era um homem de fala fácil e tinha um magnetismo muito intrigante, ele também era uma pessoa muito carismática, um tipo de carisma que Anumtep nunca tinha visto. Ele ajudou a disfarçar Anumtep, o estranho é que ele simplesmente não dizia para usar alguma roupa ou algum tipo de camuflagem apenas dizia para ele não fazer barulho.                                                                                                                      
Logo Somekh pergunta a Anumtep: por que chacais o seguem e por que eles mantém certa distancia como se estivessem vigiando? Anumtep responde que não sabe por que os chacais o seguem, mas, diz que se sente seguro com a presença dos chacais, pois nos últimos quatro anos os chacais foram essenciais para sua sobrevivência no Egito. Anumtep acha estranho o fato de Somekh saber que os chacais se aproximam dele e pergunta: como sabes que os chacais tem me seguido? Somekh apenas diz, são segredos antigos desta terra.                                                                                                                                
Eles continuam conversando e Somekh percebe que Anumtep mesmo nascido em uma boa família não tinha sido versado em sua própria cultura e também notou que ele tinha um porte físico imponente e disse que podia conseguir lhe um emprego igual ao que ele tinha no Egito em uma pequena cidade chamada Kadesh que ficava logo após cruzarem a fronteira do império e que ele fazendo “ofertas” seria protegido, poderia estudar a sua cultura de origem e que receberia uma quantia em dinheiro mensalmente que somado ao que sua mãe lhe deu em ouro poderia viver uma vida melhor que a que ele estava vivendo no Egito e de lá não precisaria mais fugir.                                                                    Anumtep percebeu durante a viagem que Somekh e outros três membros do grupo não se alimentavam junto com os outros seis membros da caravana, então ele resolveu questionar Somekh.                                                                     Perguntou por que eles não se alimentavam com os demais, Somekh respondeu que quando chegassem a Kadesh surgiriam muitas perguntas e que aos poucos seriam respondidas.                                                                               Depois de dez semanas de viagem eles chegam a Kadesh e ele é apresentado aos demais membros do que parece ser um “pequeno” grupo que cultua os deuses Egípcios, os animais que mais se destacam são o escorpião, crocodilo e principalmente a serpente.                                                                                                                                Anumtep foi apresentado ao líder do culto, um homem chamado Jendayi, ele pediu para que ele fosse descansar que no outro dia iriam mostrar a rotina do lugar.                                                                                                                   No outro dia foi apresentado para mais membros do grupo e era muito observado seu porte físico, eles nunca tinham visto um homem tão alto.                                                                                                                                   Logo começou a trabalhar e a estudar sua cultura de origem, aprendeu sobre os deuses egípcios e como funcionava basicamente sua religião, ele também notou aos poucos que esses seres não eram meramente humanos, todos eles tinham um magnetismo surpreendente, alguns deles podiam fascinar uma pessoa ou encanta-las de alguma forma.                                                                              
Anumtep viu Jendayi e Somekh bebendo o sangue de algumas pessoas e ficou assustado e preferiu não perguntar nada. Somekh sabendo que Anumtep tinha visto eles se alimentando, foi explicar o que ele tinha presenciado, ele disse que aquilo era uma oferta de sangue que era dada em troca de alguma coisa ou simplesmente uma doação voluntaria a membros do culto.                                                                                                                                               Falou sobre sua verdadeira natureza vampírica e que era necessário beber sangue para manter-se vivo, e que poderiam viver muitos anos se não fossem mortos, durante a conversa mais absurda que ele teve na vida, naquele momento a conversa parecia aceitável por alguma influencia que Somekh parecia exercer sobre as pessoas.                                     Ele então começou a fazer ofertas de sangue aos membros da seita, ele aprofundou mais seus conhecimentos na religião egípcia e foi aprendendo sobre o clã das serpentes.                                                                                             Passado um ano ele aprendeu muita coisa com Somekh e Jendayi e fez vários trabalhos para eles como guarda costas chefe do pequeno templo.                                                                                                                            
Anumtep contou a eles sua estória de vida, só que de maneira um pouco diferente, ele viu que esses vampiros que adoram a serpente são seguidores do deus Seth e seu padrasto se chama Sutekh um dos nomes do deus egípcio Seth.                                                                                    
Ele apenas colocou Bebti como o malfeitor e fala que o homem que se diz Sutekh atualmente, é na verdade Bebti que matou seu pai Sutekh e roubou seu nome e seus bens, Anumtep faz uma pergunta a Jendayi: Como faço para me tornar um ser como vocês? Isso seria possível? Jendayi diz que é possível, mas que antes ele se tornaria algo intermediário e teria que provar que era digno de ser um deles.                                                                                                           Anumtep é transformado em um carniçal e passa a ter mais alcance dentro do grupo, é ótimo lutador e tem se mostrado muito disciplinado e carismático, ele passa a conhecer outros membros da seita, geralmente sacerdotes dos grandes templos do Egito.                                                                                                                                             Anumtep nota como os sacerdotes do Egito saem para fiscalizar o que estava acontecendo em outros centros da religião e volta e meia era pedido que os acompanhassem nas viagens que fariam para regiões próximas como a fenícia, Canaã, península do Sinai entre outras.                                                                                                                                Nessas viagens aprendeu a falar o Púnico à língua falada pelos Fenícios e tinha contato direto com sacerdotes do Egito que passavam por lá.                                                                                                                                            Ele bebia tanto o sangue de Jendayi como Somekh e quando viajava com os sacerdotes bebia sangue do Sacerdote mais importante do Egito chamado Ahmoses.                                                                                                                     Anumtep e Ahmoses ficaram amigos entre as viagens que faziam e ele contou sobre seus anseios em se tornar membro do clã e deixava claro que queria se vingar de seu padrasto “Bebti“ que tomou o nome e os bens de seu pai, ele confidenciou que estava ansioso para que Jendayi o transformasse.                                                                                                                
Nesse tempo ele não se esqueceu dos chacais ele continuava os alimentando e eles sempre se mantinham a  uma certa distancia.                                                                                                                                                       Ahmoses disse a Anumtep que isso era um bom sinal, que os chacais eram a presença de um dos deuses da morte conhecido como Anúbis e que isso tinha um significado oculto.                                                                                     Nesse tempo Anumtep já tinha presenciado e participado de muitas orgias de sangue e situações cotidianas na vida de um membro dos seguidores de Seth, tinha uma noção dos poderes que eles utilizavam, embora eles não tivessem o transformado e nem revelavam grandes segredos, pois Anumtep ainda não estava pronto.                                                                                                          
Anumtep passou três anos sendo carniçal e guarda costas do pequeno templo de Kadesh.                                               Em um dia de celebração a deusa Sekmeth, Jendayi e Somekh marcam mais uma orgia de sangue e convidam Anumtep para participar, pois ele nem sempre participava afinal ele era o guarda costas de confiança.                                                                                              
Então depois de consumir sangue com drogas e álcool Anumtep resolve sair do templo e acaba vagueando pelos limites da cidade e simplesmente apaga. Anumtep acorda em uma caverna e na sua frente esta um humano desacordado e um espirito “humano” com feições animalescas.                                                                                                             Logo o espirito diz a Anumtep que o seu tempo tinha chegado e que seu valor finalmente tinha sido reconhecido.
Anumtep então passou a achar que aquilo era feito com todos os membros da seita e que ele tinha sido aceito e que aquilo era apenas o inicio. O espirito diz se chamar Shekau e o ensina como sobreviver em meio inóspito, durante os seus primeiros meses ele ensina a arte de caçar. Anumtep foi meio resistente no inicio, pois outros membros da seita lhe disseram que as pessoas faziam ofertas de sangue em troca de alguma coisa ou era simplesmente dado de bom grado.
Shekau o orientou e disse que se alimentar nem sempre funcionava dessa maneira e então ensinou Anumtep as técnicas de caça e emboscada, também disse que podia fazer isso de forma sutil em ambientes muito povoados e que deveria esconder a sua verdadeira natureza.                                                        
Nesse tempo muitas coisas estranhas aconteciam, ele também começou a ver outros espíritos além de Shekau, ele se sentia vigiado, mas nunca viu ninguém por perto que estivesse de fato o vigiando. Shekau percebeu sua proximidade com os chacais e ensina Anumtep a lidar melhor com os animais e os chacais se tornaram mais próximos de Anumtep. Ele então passou a ensinar ao rapaz os dons da metamorfose e da resistência sobrenatural e a se comunicar genericamente com os animais. Durante o período que passou com Shekau, Anumtep tinha perdido a noção do tempo. Certo dia Anumtep caiu em sono profundo e teve um sonho com o deus Anúbis. No sonho o deus Anúbis diz que na verdade ele é seu representante na terra e que deveria tomar seu lugar no Egito. Anúbis revela a Anumtep que ele atingirá a forma espiritual mítica de Anúbis e neste momento eles se tornariam um.                                                       Então o deus Anúbis diz que ele viajará a muitas regiões e levaria com ele a pena e a balança. E que a presença de Anumtep no plano físico se fazia necessária por causa da condição diferenciada dos mortos vivos que caminham sobre a terra. Anubis diz para Anumtep que ele será o juiz e o guia dos mortos vivos, e que ele também será o mensageiro dos deuses do Egito.
Ele treina com shekau até se transformar instintivamente em um chacal e não tem mais duvidas sobre qual caminho seguir.                                                                                                    
Mais um tempo se passa e Anumtep se torna um aluno muito aplicado e Shekau lhe fala de alguns de seus dons e lhe ensina boa parte do que é necessário para sobreviver pelo mundo na sua nova condição.                                               Em outra noite conversando com Shekau, Anumtep entra em transe e tem uma visão, na visão ele vê seu breve retorno ao pequeno templo de Kadesh, mas a maior parte da visão se passa no Egito onde ele mata seu padrasto e vai até o templo de Luxor e encontra Ahmoses o grande sacerdote do templo, a visão também mostra a grande pirâmide.
então Shekau lhe diz que a partir de agora não estará sempre com ele, mas que seu treinamento ainda não foi totalmente finalizado e que eles voltariam a se ver no tempo adequado.
Então ele viaja até Kadesh e  passa uma semana no templo de Kadesh e conta a eles sobre um sonho que teve sobre o Egito, Ahmoses e a grande pirâmide.  
Anumtep diz que tem que partir imediatamente, pois matará o impostor que roubou o nome de seu pai e tomou sua mãe como esposa.                                                                        
Somekh parece desconfortável com tudo que Anumtep diz.                                                  
Então Somekh pede para que Anumtep fique mais um dia e que ele iria conversar com Jendayi e ver se podia ajudar de alguma forma.                                                                            
Somekh questiona Jendayi sobre o que Anumtep tem relatado e fala das intenções do agora Kindred Anumtep.                                                                                                        
Jendayi diz para Somekh que o rapaz parece ser sincero naquilo que diz, e que ele nunca tinha falhado com o templo. Mesmo a estória parecendo estranha Jendayi disse para Somekh ajudar Anumtep no seu retorno ao Egito. Então, no outro dia, eles partem em direção ao Egito durante dez semanas, e a primeira coisa que fazem no Egito é rastrear o que Sutekh tem feito, como funciona seu esquema na cidade, quem é leal a ele etc.
Depois de descobrir a rotina de Sutekh, Anumtep faz uma emboscada em um local isolado que Sutekh costumava frequentar após as rinhas. Anumtep mata todos que estão no local e esquarteja Sutekh e coloca os seus pedaços em uma área movimentada da cidade e deixou escrito em sangue a seguinte frase: Olho por olho, dente por dente, assim como Osíris este também não retornará.                                                                                                                        Somekh então diz para Anumtep que mesmo que seu padrasto fosse maligno, assassinato sem permissão era crime. Então Anumtep relembra Somekh e fala outra vez sobre o seu sonho e diz que aquilo é uma visão do futuro e que deveria ir ao templo de Luxor encontrar Ahmoses.                                                
Só que antes de ir ao templo ele iria ao encontro de sua mãe para contar o que tinha acontecido com Sutekh e que ele tinha vindo para reivindicar aquilo que era seu por direito.                                                                                           Ele então vai ao encontro de sua mãe e explica a situação e suas intenções em reivindicar o que é seu por direito e diz que antes deve ir a outro lugar e conseguir apoio de outras pessoas para não ser considerado um criminoso.                                                                                          
Anumtep e Somekh então se dirigem ao templo de Luxor, Somekh já era conhecido no templo visto que ele era membro da mesma seita só que estava fora do império, mesmo sendo egípcio ele tinha sido enviado para Kadesh fazia muito tempo.  
Chegando ao templo, Somekh se apresenta, e diz que traz com ele Anumtep nascido egípcio e conhecido de Ahmoses, chefe do templo.                                                                              
Depois de algum tempo Ahmoses aparece e diz estar feliz em ver o rapaz que o acompanhava nas viagens fora do Egito. Anumtep conta para Amosses os sonhos que teve sobre o templo de Luxor, Ahmoses, Egito e a grande pirâmide.                                                                                                                
Ahmoses conhecia boa parte da estória de vida de Anumtep e sabia que ele tinha o desejo de se vingar e então faz uma pergunta a Anumtep: Veio vingar a morte de teu pai? Anumtep diz que a primeira coisa que fez quando pôs os pés no Egito foi matar e esquartejar Sutekh.                                                                  
Então Somekh pergunta ao sacerdote o que deveria ser feito a respeito visto que Anumtep tinha cometido assassinato sem autorização.                                                                            
Ahmoses diz que vai pensar sobre o ocorrido e diz para que eles fiquem no templo até a próxima noite.  
Na outra noite Ahmoses diz que Anumtep tem o dom de Joshua (Josué) (Josué era um hebreu que foi jogado em um poço pelos seus irmãos que tinham ciúmes dele, é Josué que interpreta o sonho das vacas gordas e as vacas magras do faraó, Josué se tornou muito importante no Egito).                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                  
Então Ahmoses decide que Anumtep será aceito no templo como membro e que a morte de Sutekh seria esquecida.                                                                                                                      
Agora Anumtep vai reivindicar a sua herança e estuda a filosofia do clã das serpentes no templo de Luxor.                                                                                                                        
Assim que Anumtep herda tudo que a família lhe deixou ele da uma quantia em ouro para Somekh o agradece e diz que eles ainda vão se ver pois tinha visto isso em outras de suas visões, eles se despedem e Somekh deixa o Egito.                                                                                                                              
Agora no templo Anumtep começa a conhecer a estrutura da cidade do ponto de vista cainíta, aprende como funciona a hierarquia e os cargos que vampiros ocupam na cidade. Passando essa introdução ao mundo cainita, lá conhece um vampiro hebreu chamado Isaac.  
Certo dia dentro das necrópoles, ele tem uma visão que mostra sua mãe morrendo e que ela era embalsamada por Issac, ele também viu outro cainita diferente de todos os outros que ele já tinha visto, a visão foi tão nítida que Anumtep reconheceu o local e sabia até mesmo dizer o dia em que esse cainita misterioso apareceria no Egito.
Ele não falou nada para ninguém a respeito de sua visão, apenas foi ao local no dia que a visão se referia. Ele encontrou o tal cainita misterioso, seu nome era Liam, um vampiro que tinha vindo de longe em busca dos segredos da grande pirâmide. As lendas contam que todos aqueles que entraram na grande pirâmide jamais saíram de lá. Eles então conversam, e na outra noite que era o dia correto para entrar na pirâmide, Anumtep e Liam começam a sua aventura na grande pirâmide.


As lendas eram verdadeira, presos em um labirinto, cheio de armadilhas e confrontos inimagináveis, apenas Lian parecia estar “confortável” com tais confrontos. Eis que o grande enigma surge, das lendas, a Esfinge, “Decifra-me ou te devoro!”
Na pirâmide além de encontrarem todo o tipo de tormento, encontram também muitos rituais egípcios, e um desses pergaminhos era o fragmento do feitiço da vida. O feitiço da vida seria capaz de criar uma múmia.
Nesse ponto Anumtep entendeu que teriam que buscar os outros fragmentos do feitiço da vida, e Anumtep justifica dizendo que deseja fazer o ritual em sua mãe pois sabe que ela está prestes a morrer e que ela poderia ser trazida de volta a vida desde que seja embalsamada da maneira correta.          
Uma longa conversa se seguiu por dias, semanas, meses, talvez ano, a respeito do mundo, quando decidiram retornar a civilização, pegaram tudo que puderam e foram embora da pirâmide.    
Liam passou um tempo no Egito onde estreitaram os laços de amizade.
Anumtep volta ao templo, e os membros o perguntam sobre a sua saída repentina, ele então conta que entrou na grande pirâmide e de lá trouxe muita coisa que tinha sido guardada e esquecida. Ele trouxe de dentro da pirâmide o livro de Seth e muitos pergaminhos contendo rituais que há muito tempo estavam perdidos, então Anumtep resolve dar ao templo o fragmento do pergaminho que continha partes do feitiço da vida. Todos então ficam surpresos com a proeza de Anumtep, os magistas então examinam os pergaminhos e o livro de Seth e atestam como verdade tudo que Anumtep diz, eles então resolvem fazer uma festa em homenagem a Anumtep.
Anumtep vai até Issac e oferece a ele o ritual do embalsamamento como prova de amizade.
Anumtep é agora um jovem membro muito proeminente da prole do Egito, ele participa dos rituais funerários com a mascara de Anúbis, pois assim se auto declarou.    
Passando o tempo sua mãe morre e Anumtep pede para Issac embalsamar sua mãe com o ritual que ele descobriu, para que um dia ele possa fazer o feitiço da vida sobre ela.                                                                                                 Depois de sua mãe ser embalsamada ele pede ajuda para Imotep para guardar a Múmia de sua mãe dentro da grande pirâmide do Egito, então eles vão até a pirâmide e lá guardam o corpo de Astarte dentro do sarcófago grande que ele encontrou vazio, eles selam o sarcófago e saem da pirâmide.                                                                           Anumtep então comunica aos sacerdotes que ele planeja fazer uma longa viagem fora dos limites do império e os membros do clã admiram a atitude de Anumtep e preparam uma festa em sua homenagem, durante a festa Anumtep é chamado por Ahmoses e ele lhe diz que tem feito um grande trabalho no templo e lhe oferece um grande premio, anumtep aceita o presente e cai em êxtase, durante o êxtase ele tem uma visão, na visão ele se vê em uma cidade com outros vampiros e lá também esta Liam e o espirito que o treinou chamado Shekau.                                                                                                                    
Quando volta do êxtase ela fala as seguintes palavras: “Eu levarei a balança e a pena aos mortos vivos, eu sou o guia e juiz dos mortos, eu devorarei a alma dos mortos indignos.”
Anumtep tinha feito uma grande amizade com Issac, ele deu presentes para seu amigo e disse que ia para um lugar um pouco mais distante do Egito.
Ele também diz a Issac que quando se estabelecer fora do Egito ira chama-lo para visitar a cidade, e que se quiser ficar lá ele o ajudaria.
Ele então segue viagem até Kadesh encontra Somekh e Jendayi, passa uma noite no templo e fala que esta indo atrás de mais uma de seus sonhos, mas dessa vez eles não parecem mais surpresos visto que agora Anumtep tinha se tornado muito rico e poderoso e que ele também tinha a consideração de membros do mais alto escalão da seita e do clã.
Seguindo viagem com seu pequeno grupo Anumtep encontra três vampiros lutando “perto” da cidade que ele esta procurando, ele vê os dois vampiros atacarem o outro, e resolve interceder em favor daquele vampiro que estava muito ferido, e então mata os outros dois vampiros por julga-los covardes. Anumtep ajuda esse vampiro, então ele se apresenta como Mikva atopís e então Anumtep oferece escolta para Mikva e conversando com ele diz que pertence ao clã ventrue.
Depois disso Anumtep diz a ele que quando quiser saber dele, poderia encontra-lo no Egito ou em Útica.                         Agora muito próximo da cidade ele é surpreendido pela aparição súbita de seu primeiro mestre, Shekau.                                                                                                                                
Eles conversam e Shekau diz que está muito impressionado com sua evolução no mundo cainita e que agora tinha chegado o momento de finalizar seu treinamento, Shekau segue com Anumtep e eles retomam os velhos tempos, shekau leva Anumtep até Amoneth e depois de fazer o que tiverem que fazer lá eles seguem até Utica.                                                                                        
Chegando em Útica ele encontra liam e conhece os demais membros da cidade e começa a se estabelecer e construir as templos e santuários com a arquitetura egípcia, tem algumas propriedades e controla metade do porto. Com o tempo se torna um dos homens mais ricos de toda aquela região, fica ainda mais amigo de Liam, tanto que o convida para morar com ele, Liam então passa a ajudar Anumtep nas suas negociações. Com o tempo ele se torna o primogênito Setita na cidade e traz outros setitas para a cidade e converte outros.




Galera foi mal o jeito que eu escrevi, ando sem tempo e não estou com muito tempo para corrigir as folhas.

Asher@jeff

Mensagens : 1
Data de inscrição : 14/02/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum